A reabertura da cidade de New York, assim como o coronavírus, está no ar


Jardim Botânico de New York, que reabrirá no dia 28 de julho (Foto: Sandra Colicino)
Jardim Botânico de New York, que reabrirá no dia 28 de julho (Foto: Sandra Colicino)

Na segunda-feira, 20 de julho, a cidade de Nova York iniciou a fase 4 de reabertura da cidade. Esta que é a última, inclui uma série de atividades externas, como zoológicos e jardins botânicos, a temporada de beisebol (sem audiência no estádio) e produções de televisão. Continuam ainda suspensas as atividades que envolvem atividades internas, como academias, museus, shoppings e parte interna de restaurantes.

Na sexta-feira, dia 17 de julho, o governador de Nova York, anunciou que a cidade de Nova York Estaria liberada para fase 4 de reabertura da cidade de Nova York, utilizando a palavra “marco”. Embora essa seja definitivamente uma boa notícia, a fase final de reabertura ainda está muito longe de ser o que era antes da pandemia.

A partir de 20 de julho, as atividades que foram liberadas são Jardins Botânicos, com 33% de capacidade e tickets com horário marcado, assim como os zoológicos. 4 zoológicos e o Jardim Botânico de Nova York, no The Bronx, já anunciaram a reabertura até o fim deste mês e o Jardim Botânico do Brooklyn anunciou sua reabertura para o início de agosto.

Além disso, jogos de beisebol também estão liberados para retomar, mas sem audiência. Porém, os times de beisebol não querem desanimar os torcedores. Eles ofereceram aos fãs, a oportunidade de submeter suas fotografias, mediante um pagamento, para que estas fossem usadas como uma audiência de papelão durante os jogos. A temporada de beisebol tem data marcada para 23 de julho.

Por último, as produções de mídia, uma forte indústria na cidade, também retomarão durante esta fase, seguindo as devidas orientações de saúde pública. Somente a equipe necessária para cada tomada estará presente de uma vez. Em produções internas, a produção funcionará com 50% de capacidade e busca de atores acontecerá apenas com hora marcada.

Apesar de esta ser a última fase, a reabertura total da cidade está muito longe de ser completa. Por exemplo, reabertura de restaurantes na parte interna, o que originalmente estava previsto para a fase 3, ainda não estão liberada. O governador Cuomo e o prefeito Bill de Blasio, mesmo cientes de que a cidade de Nova York está em dia com as métricas de reabertura, apontam para 2 fatores que impedem a reabertura de restaurantes.

O primeiro é o surgimento de aglomerações de pessoas, principalmente jovens, ao redor de restaurantes, que tiveram permissão na fase 2 de reabrirem na parte externa. No último final de semana, a polícia esteve presente em bairros onde os moradores apontaram infratores. Pelo menos um restaurante no bairro de Astoria, Queens, foi fechado durante a operação.

“Atividades na parte externa não significa esquecer a dura lição a qual aprendemos,” afirmou De Blasio em sua coletiva de imprensa do dia 20 de julho.

O segundo fator é o alto número de casos no restante do país, principalmente, Arizona, Flórida e Texas. Inevitavelmente, há pessoas de outras partes do pais entrando no estado e na cidade e isso pode fazer com que os números na região aumentem. Além disso, muitos surtos do corona vírus em estados que reabriram precipitadamente estão relacionados a bares e restaurantes.

“Um surto em um lugar é um surto em todos os lugares,” exclamou Cuomo em sua coletiva de imprensa na segunda-feira, antes de uma viagem a Savannah, GA em missão de alivio à causa do corona vírus na região.


mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • chat
    Adicionar um comentário