Ator brasileiro formado na Flórida roda mais de 90 países como Bento Alves de ‘A Todo Vapor’


O ator paulistano Claudio Bruno (Foto: Reprodução)
O ator paulistano Claudio Bruno (Foto: Reprodução)

O ator paulistano Claudio Bruno não foge de um bom desafio e está rodando o mundo, virtualmente, com a série “A Todo Vapor”, que acaba de chegar a mais de 90 países pela Amazon Prime Video. É a primeira série brasileira de steampunk e tem criação de Felipe Reis e Enéias Tavares, com produção da Cine Kings Produções e de Brasiliana Steampunk, e co-produção da Blues Content e Anim All.

Steampunk, também conhecido como Vapor Punk ou Tecnavapor (abreviação de” Tecnologia a Vapor”) é um subgênero da ficção científica, ou ficção especulativa, que ganhou fama no final dos anos 1980 e início dos anos 1990.

São ao todo oito episódios com personagens clássicos da Literatura Brasileira como Capitu (“Dom Casmurro”), Juca Pirama (do poema de Gonçalves Dias) e Bento Alves (“O Ateneu”), interpretado por Claudio Bruno com uma releitura bem moderna como personagem gay nesta trama, com direito a formar casal com Sérgio Pompeu, interpretado por Pedro Passari. 

A Todo Vapor cartaz de divulgação (Foto: Divulgação)
A Todo Vapor cartaz de divulgação (Foto: Divulgação)

O enredo traz os detetives paulistanos Juca Pirama e Capitu Machado indo à Vila Antiga dos Astrônomos para investigar uma série de crimes rituais. Para os ajudar, os heróis do Parthenon Místico são chamados.

E este time conta também com outras presenças ilustres que incluem a misteriosa viúva Aurélia Camargo (“Senhora”), o padre Eugênio Guimarães (“O Seminarista”) e o ambicioso industrial Henry McHell. No centro desse mistério, os arcanos do tarô e uma seita profana envolvendo Pamu o Venerável! No elenco também estão: Thais Barbeiro, Pamela Otero, Luiz Carlos Bahia, Antônio Destro, Paulo Balteiro, Bruna Aiiso, Alessandro Imperador e Yoram Blaschkauer.

Cláudio Bruno conta que sentiu uma grande responsabilidade ao interpretar Bento Alves “porque sempre que você faz papel de alguém que existiu ou de alguma coisa clássica, é preciso ter uma certa responsabilidade para manter veracidade no que você está fazendo. Eu tive essa liberdade de o personagem vir 30 anos depois do que está no livro”, diz o ator.

Outros projetos

Mas não para por aí o desafio de Claudio Bruno, que está com três projetos andando. “Eu estou fazendo o personagem de um jornalista em ‘O Mímico’, que vai ser uma série também. Já foi livro, já virou história em quadrinhos também e agora série. É sobre um anti-herói, um policial que tem a mulher assassinada no dia do casamento e ele se revolta e decide ter uma identidade secreta. Ele quer se vingar de tudo o que aconteceu e acaba descobrindo corrupção, um monte de coisas a partir disso. É uma figura paralela à polícia”, adianta. 

O outro projeto é um filme independente que se chama “Paranoid”, um terror psicológico no qual ele faz o papel de um assassino psicopata que matou a família inteira. Ele aparece como alucinações para uma menina que está sendo manipulada e drogada por toda uma família. 

Claudio Bruno é também artista plástico e teve sua formação em Teatro na Flórida, Estados Unidos, onde morou para avançar nos estudos de design. Mas os palcos o chamaram em uma voz impossível de ser ignorada.


mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • chat
    Adicionar um comentário