DACA, asilo, separação de famílias na fronteira. Imigração entra na pauta do último debate entre Trump e Biden


Donald Trumo e Joe Biden tiveram último encontro antes das eleições nesta quinta-feira (22) no Tennessee (foto: Reuters)
Donald Trumo e Joe Biden tiveram último encontro antes das eleições nesta quinta-feira (22) no Tennessee (foto: Reuters)

O último confronto antes das eleições entre os dois candidatos à presidência dos EUA na noite desta quinta-feira (22), no Tennesee, teve um clima mais civilizado. Em parte, pela medida adotada pela organização do debate de cortar o microfone caso um candidato interrompesse o tempo de fala do seu oponente.

Entretanto, isso não impediu que Biden e Trump trocassem acusações em diversos momentos. Um deles durante a discussão sobre imigração, que entrou na pauta do debate na última hora.

 O tema foi introduzido pela moderadora, Kristen Welker, jornalista da NBC, com um questionamento feito ao Republicano:

“Senhor Presidente, a sua administração separou crianças dos seus pais na fronteira, pelo menos 4 mil crianças. O senhor reverteu sua política de tolerância zero, mas os EUA não conseguem localizar os pais de mais de 500 crianças. Quando essas famílias serão finalmente reunidas?”, questionou Welke.

A denúncia de que  545 crianças imigrantes separadas dos pais na fronteira sul dos EUA continuam presas devido ao governo americano não encontrar seus familiares foi apresentada na quarta-feira (21), pela American Civil Liberties Union (ACLU).

“Essas crianças foram trazidas aqui por coyotes e um monte de pessoas más…cartéis. E eles usam essas crianças para entrarem no nosso país. Nós agora temos a fronteira mais forte que jamais tivemos. Nós construímos 400 milhas de um muro novinho”, respondeu Trump.

Biden retrucou dizendo que as crianças foram “arrancadas dos braços dos seus pais”.  “Eles não foram trazidos por coyotes, foram trazidos pelos seus pais. E agora eles não conseguem encontrar os pais dessas mais de 500 crianças, e elas estão sozinhas. Isto é criminoso, isso viola qualquer noção sobre o que nós somos como nação “disse o Democrata.

Em sua defesa, Trump afirmou que as “jaulas” das quais seu governo tem sido criticado por manter essas crianças foram construídas pelo governo Obama-Biden.

“Deixe-me dizer a você, eles construíram essas jaulas”, disse Trump “quem construiu essas jaulas, Joe?”, perguntou.

A jornalista questionou Biden por que os eleitores deveriam confiar nele após a reforma imigratório do governo Obama haver “falhado” após oito anos de governo.  Ele respondeu sem rodeios: “Porque cometemos um erro. Demorou muito para acertar. Serei o presidente dos Estados Unidos, não o vice-presidente dos Estados Unidos. “

Biden garantiu que em seus primeiros 100 dias de governo enviará ao Congresso um projeto que oferece um caminho para a legalização de 11 milhões de indocumentados, e irá restituir o Deferred Action for Childhood Arrivals (DACA). O programa que concede status legal aos jovens trazidos para os EUA ilegalmente quando crianças foi interrompido pela administração Trump.

“Os ‘dreamers’ serão certificados novamente para poderem permanecer neste país e empreender o caminho para a cidadania” disse Biden “Nós devemos isso a eles. Nós devemos isso a eles”, reiterou.

O democrata também atacou o endurecimento da política de concessão de asilos pela administração Trump . Segundo uma legislação recém-aprovada pelo governo atual, as solicitações de asilo só serão aceitas quando vindas de pessoas que tenham solicitado refúgio e tido essa proteção negada, em um terceiro país, por onde passaram no caminho até os EUA.

“Isso nunca aconteceu antes na América, você vem para os EUA e você dá entrada no seu caso aqui”, disse Biden.


mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • chat
    Adicionar um comentário