Universidade de Yale testa esgoto em CT para prevenir surtos de Covid-19


Crédito: Photo by Ivan Bandura on Unsplash
Crédito: Photo by Ivan Bandura on Unsplash

Um estudo conduzido pela universidade de Yale, em New Haven, CT, concluiu que um código genético encontrado nas fezes pode ser usado como um alerta inicial de possível surto de Covid-19.

A equipe de pesquisadores liderada por Jordan Peccia, da escola de Engenharia e Ciência Aplicada, testa diariamente amostras de lodo para pedaços de código do coronavírus conhecido para RNA. Eles descobriram que eles podem usar estas amostras para recriar a curva dos casos do Covid-19 na área de New Haven. “A diferença é que conseguimos ver isso sete dias mais cedo”, disse Peccia.

O estudo, que foi publicado online na última semana mas ainda não passou pela revisão da comunidade científica, afetará a resposta do estado quanto a pandemia. Nos primeiros dois meses da pandemia, o estado de Connecticut teve dificuldades em aumentar a sua capacidade de testagem. Mesmo agora, após um aumento substancial nas testagens, elas são centradas nas pessoas que apresentam sintomas.

Isso significa que pacientes não são testados frequentemente até que eles comecem a apresentar sintomas. Os assintomáticos que não são testados espalham o vírus sem se darem conta.

De acordo com o estudo, as amostras de esgoto previram flutuações de hospitalização três dias antes de ocorrerem, e as flutuações de dados de teste com sete dias de antecedência.

“Eu penso que isso é bastante auto-evidente que se você pode ver o que está acontecendo mais cedo é melhor”, disse Peccia.

New Haven ajuda moradores com dificuldade em pagar aluguel

crédito: Photo by Erik Mclean on Unsplash

Autoridades de New Haven, CT, estimam que entre 8 e 10 mil famílias estão prestes a serem despejados de suas residências por não terem como pagar o aluguel após o início da crise sanitária e a consequente perda de renda.

“Será uma das coisas mais significativas que a cidade e o estado irá enfrentar durante o outono e inverno com famílias atravessando uma verdadeira crise econômica”, disse o Administrador de Desenvolvimento Econômico Michael Piscittelli.

Para enfrentar o problema, a administração municipal anunciou, na semana passada, que irá usar U$800.00 do fundo de ajuda do governo federal para ajudar cerca de 300 famílias e proprietários com aluguéis e hipotecas atrasadas. O limite por família será de U$3.000,00 e de U$4.000,00 por proprietário de imóveis.

“Nós estamos tentando ajudar o maior número de pessoas possível”, disse Serena Neal-Sanjurjo, diretora-executiva do Livable City Initiative. Este programa, que ten sido estudado há meses, aconteceu momentos antes do CDC anunciar nesta terça-feira, 1, a paralisação de todas as notificações de despejo até o final do ano sem, no entanto, oferecer recursos monetário para resolver a crise financeira.


mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • chat
    Adicionar um comentário